Em busca do bom, bonito e barato!

Paixão dos Petiscos – Torres de Lisboa

Mais uma volta, mais um restaurante, as crianças não pagam mas também não vão. Agora mais a sério…. depois da incursão nos petiscos asiáticos, chega a vez dos petiscos portugueses, pela mão do Paixão dos Petiscos, curiosamente também via sugestão no site (pelos vistos o pessoal dos petiscos anda aí em força).

Este restaurante fica na R. Alexander Fleming 9, ali na zona das Laranjeiras para quem não conhece o local  o melhor ponto de referência são as Torres de Lisboa, depois é questão de seguir pela R. Tomás da Fonseca até junto ao viaduto por baixo do Eixo Norte-Sul.  Pela positiva de ser afastado do centro da cidade, o estacionamento é bastante fácil.

O espaço é mais ou menos como a zona, relativamente incaracteristico, não é feio mas também não é propriamente bonito, trata-se daquele género de prédio sem história nem alma em que a única coisa que muda relativamente ao prédio do lado é o número da porta. Tem uma sala perfeitamente banal na zona do balcão, depois uma sala mais à meia luz reservada para grupos gran

ºdes e uma esplanda (o que é óptimo para os fumadores). Digamos que é um espaço familiar que não compromete mas também não envolve.

O verdadeiro ponto de interesse neste restaurante surge quando nos entregam o menú, que é composto por dezenas de petiscos, desdes os mais típicos e castiços aos mais inovadores.  Um conceito inovador especialmente derivado da quantidadade de propostas disponíveis, em contraponto com a “meia dúzia” de petiscos que as tascas à moda antiga dispõem.

Seleccionámos vários petiscos, conforme os nossos gostos e um pouco à sorte. Para acompanhar vinho branco da casa a copo (é mais uma taça…) ao preço imbatível de 0,95 euros. As azeitonas e o pão não podiam faltar enquanto na cozinha tratam dos petiscos, de assinalar que o cesto de pão é uma mistura de pão de qualidade com outras fatias mais comuns, um estratagema dispensável para poupar uns centimos.

A refeição (que nunca seria aconselhada por nenhum nutricionista…) foi então composta por uma salada de polvo, o pica pau e uma dose de batatas fritas, farinheira com ovos e espargos e o queijo assado. Pela positiva temos de destacar exactamente o queijo assado, delicioso e bem servido apenas . A salada de polvo e o pica pau também estavam bons mas não ao mesmo nível. A farinheira com ovos e espargos foi o elo mais fraco, embora também estivesse razoável, merecia um pouco mais de farinheira e espargos e menos ovos. Para finalizar a refeição um semi-frio “Capricho de caramelo” bastante aceitável.

No final, a conta é uma surpresa muito agradável, desde as entradas, aos petiscos, às bebidas e sobremesas todos os items têm um preço muito razoável de maneira que a soma final é obviamente também muito razoável. Um ponto muito positivo nos tempos que correm.

As considerações do costume relativas ao atendimento, que é um pouco atascasdo e atabalhoado mas simpático, aliás de salientar que ficámos bastante para lá da hora de fecho e nunca fomos pressionados para sair.

Em conclusão é uma boa aposta para quem gosta de petiscos, e quer variar da tasca do bairro (ou a tasca do bairro já não existe ou já não vive no bairro), ou petiscar num ambiente menos atascado que a tasca do bairro. Também poderá ser uma boa opção para grupos visto que há petiscos para todos os gostos e feitios, e tem uma relação custo benefício muito boa.

Custo: média de 12.5 euros, vinho a copo e alguns petiscos com preços formidáveis
Comida: bons petiscos
Atendimento:  atascado, mas simpático

Mapa



Deixar uma resposta