Categoria: Fusão

SuperCaliFragilistic ‎- Alfama

Mias um restaurante proveniente das sugestões, este com um nome esquisito provenientemente de um antigo musical da Disney. Situado na Rua dos Remédios n38 no castiço bairro de Alfama, e com página no Facebook onde podemos ver fotos, o menú e adicionar o restaurante ao nosso grupo de amigos.

Visto que está numa zona fechada ao trânsito, já se sabe que o carro tem de ficar cá para baixo junto ao rio, ali preferencialmente entre Santa Apolónia e o Museu do Fado, e depois é necessário caminhar uns 5 minutos para lá chegar.

O espaço que se define como uma “Tasca Atípica” tem uma decoração um pouco caótica, com mesas e cadeiras diferentes, zonas de iluminação e paredes com cores diferentes e elementos de decoração desconexos uns dos outros. O resultado final é diferente do normal, e não sendo espectacular tem um certo charme low budget que deixa os clientes à vontade  (pena o pó à vista aqui e ali…), e os tons à meia luz e a música convidam a ficar.

Como o espaço e a decoração o menú também é imaginativo e caótico. As entradas propostas são várias e muito boas, provámos o hummus, pasta de azeitonas e pão,  endivia com ricotta, bombons de farinheira (muito bons os bombons). Como se não fosse suficiente, ainde pedimos um salmão no espeto e milho de frito que nos acompanhou durante toda a refeição.

Para prato principal, o magret de pato, que acompanha também com milho frito e esparregado, que estava bom mas não estava espectacular. A nossa companhia de jantar avançou para um sashimi de salmão que tivemos oportunidade de provar, e que estava algo esquisito, o salmão dava ideia que era fumado e não super fresco como é fundamental nos crús. Tudo isto foi bem acompanhado por muita conversa e duas garrafas de vinho tinto.

Já com pouca barriga para as sobremesas, mesmo assim fizemos o sacrifício (NOT)  para efectuar um relato completo aqui no blog. Experimentámos (sim, é o termo correcto) 2 sobremesas diferentes de tudo o que normal.  A sopa de morangos que consiste numa taça de sopa com morangos envolvidos numa calda/molho de morango quente e uma bola de gelado cremoso no centro, vale a pena sem dúvida. E o Kashmir, uma sobremesa reservado aos mais destimidos, uma grande confusão de sabores, especiarias (inclusive picantes) num resultado final muito diferente, contudo agradável.

Nota para o preço, um tudo nada acima da média, com um custo médio a rondar os 25 euros por pessoa. Atenção, que se estiver a pensar ir lá, terá de ir com as notas no bolso, porque não aceitam dinheiro de plástico, o que nos dias que correm é um incómodo que não se justifica.

Em resumo, é uma opçao válida ali na zona de Alfama, faz parte de uma nova oferta na zona para além dos típicos restaurantes de fados para turistas. O forte na nossa opinião são as entradas e as sobremesas, mas quem procurar algo mais consistente também encontra no menú. Apreciámos o facto de se pode ficar até mais tarde,  terminar a refeição e o vinho tranquilamente e usufruir sem pressa.

Custo: 25 euros por pessoa. Não aceita multibanco.
Comida: entradas e sobremesas muito boas. Pratos principais razoáveis.
Atendimento:  simpático

Mapa

Viagem de Sabores – Sé

O Viagem de Sabores é um restaurante de comida internacional que nos propõe dar uma volta ao mundo sem termos de nos levantar da mesa. A localização é junto à Sé de Lisboa, na rua S. João da Praça, e já se sabe que naquela zona carro não entra (a não ser que seja residente), e que portanto a melhor aposta será deixar o carro na zona da Rua da Madalena ou junto ao rio na zona do Campo das Cebolas e andar um pouco a pé no típico e sempre castiço bairro de Alfama.

O espaço é acolhedor, um ambiente à meia luz que mistura a Lisboa antiga de edificios em pedra e maciços com a suavidade da música e cores num conceito de cozinha internacional. O menú pode-se considerar limitado, com poucas propostas, mas é diversificado e muito sugestivo (várias propostas remetem directamente no nome para um continente, zona ou cidade do mundo). Para petiscar escolhemos o queijo de cabra em cama de beringelas com especiarias, realmente estava bom mas também não estava propriamente um petisco e seria agradável se fosse mais bem servido. Escolhemos solha com espinafres e pinhões e frango com farinheira, qualquer um dos pratos tinha a tal sugestão relativa às viagens como  “à moda do Médio Oriente” ou “Indiano” ou “com aroma de Marrocos”, já não nos lembramos… para acompanhar o vinho tinto da casa, Altano um vinho de entrada de gama do Douro, bastante bom (Altano é bom como o catano…), infelizmente sobre-inflacionado em demasia. Servem também a copo o que é sempre conveniente se as escolhas em bebidas forem diferentes.

Ambos os pratos estavam confeccionados com competência, embora de assinalar que o prato de peixe necessitava claramente de mais condimentos ou sal pois o molho estava insosso. Já  o frango enrolado em farinheira e frito em azeite, acompanhado por vegetais, estava muito mais saboroso e apenas pecava na porção que na nossa opinião era um pouco reduzida (atenção, também não é género nouvelle cuisine). No final uma tarte de limão de Chefchaouen (não, não leva cannabis), que é como quem diz uma tarte de limão com canela, estava bom, mas congelada demais.

O atendimento não foi lá muito famoso. A empregada que nos serviu estava sempre com ar de frete/enjoada. Limitou-se a cumprir o mínimo sem brilho nenhum, nunca houve uma sugestão, as explicações relativas aos pratos foram extremamente sintéticas, e sem ser antipática também não foi de todo simpatica… enfim não houve qualquer tipo de esforço da casa de nos cativar.

É uma viagem que não fica propriamente em conta, dependendo muito do vinho escolhido, irá sempre rondar no mínimo os 20 euros por pessoa podendo facilmente subir aos 30 euros ou mais.

Concluindo, pode ser uma boa aposta para jantar num ambiente bonito e com propostas diferentes e exóticas, não convence no atendimento e principalmente na relação custo/quantidade, foi uma desilusão porque as expectativas estavam altas, visto que há uns anos viemos ao Viagem de Sabores e a experiência foi muito melhor, provavelmente o melhor é deixar este restaurante para os patos (perdão, turistas).

Custo médio por pessoa: 25 euros, potencialmente mais (depende do vinho)
Comida: Cozinha original, porções relativamente reduzidas
Atendimento:  O ar de frete / enjoada da empregada é dispensável

Mapa

chefchaouen

Afreudite – Parque das Nações

Sábado à noite, sem o miúdo em casa, é uma oportunidade a não perder de levar a cara metade a jantar fora, com o sossego merecido e a dose romântica que, de tempos a tempos, sabe bem reavivar. Por isso, rumámos ao Afreudite.

O Afreudite é um daqueles restaurantes que teria tudo para ser um excelente local para impressionar uma miúda, não fosse a sua localização, numa zona desprovida de qualquer carácter, bem como o ínfimo espaço entre mesas (que não convida a maiores intimidades na conversa). O restaurante é conceptual e o desafio é enlouquecer os casais sensaborões, chocar com a originalidade do menú, prometer um fim de noite mais feliz.

Começámos com uma misteriosa mescla de frutos secos e sementes (que afinal não passou de uma promessa) e uns patês  agradáveis e honestos. O bom senso apela à tolerância e, por isso, o excitação, magret de pato com frutos silvestres,  foi competentemente servido e por isso bem recebido, bem como o lombo ao narciso, ambos regados com um também competente vinho do Douro, o Quinta das Hortênsias. Em relação a este último, tendo em conta as opções, a escolha acabou por recair no preço mais sensato da lista.

Por fim, o bolo de chocolate  com frutos silvestres foi, no meio de tanta sobriedade, o pagamento de uma promessa, que não parecia chegar… A conta assusta, 7 euros por uma sobremesa na nossa opinião é perfeitamente desadequado. Enfim, uma noite com as emoções guardadas para o fim.

No dia de S. Valentim que se aproxima não temos duvidas que estará cheio, mas na nossa opinião existem por essa cidade muitas casas que oferecem uma relação custo/beneficio muito melhor e igualmente interessantes para um jantar romântico.

Custo médio por pessoa: 35 euros (assusta)
Comida: Interessante
Atendimento: Competente

Mapa