Categoria: Internacional

Viagem de Sabores – Sé

O Viagem de Sabores é um restaurante de comida internacional que nos propõe dar uma volta ao mundo sem termos de nos levantar da mesa. A localização é junto à Sé de Lisboa, na rua S. João da Praça, e já se sabe que naquela zona carro não entra (a não ser que seja residente), e que portanto a melhor aposta será deixar o carro na zona da Rua da Madalena ou junto ao rio na zona do Campo das Cebolas e andar um pouco a pé no típico e sempre castiço bairro de Alfama.

O espaço é acolhedor, um ambiente à meia luz que mistura a Lisboa antiga de edificios em pedra e maciços com a suavidade da música e cores num conceito de cozinha internacional. O menú pode-se considerar limitado, com poucas propostas, mas é diversificado e muito sugestivo (várias propostas remetem directamente no nome para um continente, zona ou cidade do mundo). Para petiscar escolhemos o queijo de cabra em cama de beringelas com especiarias, realmente estava bom mas também não estava propriamente um petisco e seria agradável se fosse mais bem servido. Escolhemos solha com espinafres e pinhões e frango com farinheira, qualquer um dos pratos tinha a tal sugestão relativa às viagens como  “à moda do Médio Oriente” ou “Indiano” ou “com aroma de Marrocos”, já não nos lembramos… para acompanhar o vinho tinto da casa, Altano um vinho de entrada de gama do Douro, bastante bom (Altano é bom como o catano…), infelizmente sobre-inflacionado em demasia. Servem também a copo o que é sempre conveniente se as escolhas em bebidas forem diferentes.

Ambos os pratos estavam confeccionados com competência, embora de assinalar que o prato de peixe necessitava claramente de mais condimentos ou sal pois o molho estava insosso. Já  o frango enrolado em farinheira e frito em azeite, acompanhado por vegetais, estava muito mais saboroso e apenas pecava na porção que na nossa opinião era um pouco reduzida (atenção, também não é género nouvelle cuisine). No final uma tarte de limão de Chefchaouen (não, não leva cannabis), que é como quem diz uma tarte de limão com canela, estava bom, mas congelada demais.

O atendimento não foi lá muito famoso. A empregada que nos serviu estava sempre com ar de frete/enjoada. Limitou-se a cumprir o mínimo sem brilho nenhum, nunca houve uma sugestão, as explicações relativas aos pratos foram extremamente sintéticas, e sem ser antipática também não foi de todo simpatica… enfim não houve qualquer tipo de esforço da casa de nos cativar.

É uma viagem que não fica propriamente em conta, dependendo muito do vinho escolhido, irá sempre rondar no mínimo os 20 euros por pessoa podendo facilmente subir aos 30 euros ou mais.

Concluindo, pode ser uma boa aposta para jantar num ambiente bonito e com propostas diferentes e exóticas, não convence no atendimento e principalmente na relação custo/quantidade, foi uma desilusão porque as expectativas estavam altas, visto que há uns anos viemos ao Viagem de Sabores e a experiência foi muito melhor, provavelmente o melhor é deixar este restaurante para os patos (perdão, turistas).

Custo médio por pessoa: 25 euros, potencialmente mais (depende do vinho)
Comida: Cozinha original, porções relativamente reduzidas
Atendimento:  O ar de frete / enjoada da empregada é dispensável

Mapa

chefchaouen