Etiqueta: azeitonas temperadas

Capricciosa – Parque das Nações

Fomos jantar ao Capricciosa a propósito do aniversário de uns amigos que são verdadeiros apreciadores de pizza, visto que praticamente qualquer jantar organizado por eles pressupõe, como prato principal, a pizza. Pessoalmente, especialmente depois de certa viagem a Itália, desconfio sempre bastante das pizzas cá do burgo, ainda mais de cadeias de restaurantes industriais (no sentido em que são constituidas por vários restaurantes todos iguais, franchises ou de grandes grupos económicos).

O espaço em si tem de se admitir que é agradável, dentro dos tons brancos e vermelhos. A vista sobre o forno e os pizzaiolos embora já não seja orginal fica sempre bem. Um espaço destas dimensões quando está cheio é necessariamente barulhento, talvez tenha televisões a mais (pelo menos 4). No âmbito geral é agradável e bastante apropriado para jantar de grupos. O estacionamento é oferta (se demorara menos de 2h) no parque das Tágides que está a 50 metros do restaurante.

Chegados temos as típicas azeitonas temperadas que não estavam nada de especial, mas até souberam bem tal era a fome da família, os gressinos também foram rapidamente devorados. Pedimos uma bruschetta, que só veio ao 3º. pedido (é algo que já estamos habituados no Capricciosa) , contudo estava agradável. Obviamente que óptamos por pizza, um calzone e para beber sangria. A pizza de massa fina e crocante é bastante agradável, tavez uma das melhores em Lisboa, já o calzone não estava à altura do normal, poderia ser um pouco maior e estava com a massa um pouco queimada. A sangria parecia sumo 🙁

Uma nota ainda para o atendimento que desta vez não foi tão mau como de costume, mas sem capricho nenhum. Curiosamente, a comida não estava tão boa como de costume (será que estão a equilibrar na média? ).

O preço nos dias que correm poderá considerar-se justo.

Resumo
Custo médio por pessoa: 15 euros
Comida: Bom
Atendimento: Sofrivel

Mapa

D’Avis – Rua do Grilo

Este foi o restaurante escolhido pela outra empresa para o jantar de Natal. 2 dias 2 jantares de Natal, é um corropio estes dias 🙂

O D’Avis é um restaurante de comida tipica alentejana, na zona do Beato. É um restaurante razoavelmente pequeno e discreto com ambiente familiar, ao todo não serão mais do que 10 mesas numa decoração à base de motivos regionais.

Tenho de admitir que não sou particularmente isento relativamente a este restaurante, visto já ter ido lá inúmeras vezes e ter saido sempre bastante satisfeito.  Dito isto, passamos às entradas. Pão com queijo e azeitonas, quem tiver bastante fome aconselho a pedir os ovos mexidos com farinheira ou o prato de enchidos.

Optei pelo arroz de polvo e para beber uma imperial. O D’avis tem uma garrafeira de vinhos altamente recomdável, mas estava com vontade de beber um loira fresquinha. O arroz de polvo estava bastante bom, o polvo bem cozido, e o arroz malandrinho com bastante molho, uma delicia.

No final estava completamente cheio de maneira que já não avancei para a sobremesa. De referir ainda o serviço que é ao mesmo tempo informal e bastante atencioso com os clientes.

O preço é justo para a quantidade/qualidade das refeições servidas.

Resumo
Custo médio por pessoa: 20 euros (sem vinho)
Comida: Excelente
Atendimento: Bom

Mapa

Costini – Rua D. Estefânia

Depois do cinema pusémo-nos a caminho da Telepizza para encomendar uma pizza e comê-la em casa, quando passámos pelo restaurante e decidimos arriscar. Da última vez que passámos naquela rua, o restaurante era ainda argentino, o “Siga La Vaca” que  agora fora convertido em italiano, o Costini .

A sua sala grande e barulhenta, com 2 ou 3 televisões e um projector, continha ainda referências ao “Siga La Vaca”. Apesar disto, trata-se de um espaço com uma decoração que se pode considerar agradável e familiar.

Na mesa, à chegada, fomos “brindados” com gressinos e azeitonas temperadas com alho e queijo feta, numa combinação de sabores (bastante) intensos, contudo, agradáveis. Para beber, uma imperial e um ice tea e, de entrada, uma bruschetta tradicional de tomate. Desta última, nada a assinalar, excepto o facto (lamentável) de ter sido bastante mal servida.

Estando a apetecer-nos uma pizza de pepperoni e, não constando do menu, perguntámos à empregada se havia de possibilidade de fazerem uma, pelo que a resposta que obtivemos foi: “Depende do que entendem por pepperoni !??” 🙂 . Provavelmente, por se tratar de um restaurante italiano há pouco tempo, ainda não tiveram tempo de aprender o que é o pepperoni…enfim…lá se pediu uma pizza com salame italiano, a fazer as vezes dito. A pizza em si tinha uma massa fina e crocante bastante a gosto, já os ingredientes não jogavam muito bem, tornando-se enjoativos. Como a pizza ficou pronta antes da bruschetta, foi servida depois desta, meio morna e requentada…

Para sobremesa pedimos uma mousse de chocolate e, se até aqui não estava a ser uma experiência brilhante, a mousse revelou-se a pior que comemos na vida, com bocados de chocolate por derreter e uma textura esquisita… ainda ficou lá um bom bocado.

O preço foi razoável, excepto o da bruschetta que, realmente, não justificava os 2,75 euros que pagámos. É pena inaugurar o blog com um restaurante tão fraquinho, mas a nossa busca apenas agora começou.

Resumo
Custo  médio por pessoa: 15 euros
Comida: Sofrível
Atendimento: Sofrível

Mapa