Em busca do bom, bonito e barato!

Etiqueta: bife

Café Império – Alameda

O Café Império é um espaço histórico (talvez mesmo mítico) na cidade de Lisboa. Basta dizer que os nossos pais  frequentavam este espaço quando ainda eram mais novos do que nós agora. É com alegria pois que entrámos neste espaço reconquistado pela cidade à IURD há uns anos atrás, recordo-me que iria de servir de parque de estacionamento do templo que funcionava no cinema contiguo….

O espaço em sí é único, tem 2 andares e um pé direito impressionante. Descem-se as escadas, porque o restaurante fica no piso de baixo (em cima é café) e nota-se que houve uma remodelação há pouco tempo. O espaço é imenso e tem bastantes mesas. Na nossa opinião também existem televisões, plasmas e projectores a mais. Na parede alguns néons de estética duvidosa. Curiosamente depois no site anunciam um 3º espaço, o restaurante histórico, mas que não vislumbrei sequer onde poderia ser.

O menú é bastante completo com propostas diversas, mas claramente as especialidades são as carnes, e em especial o Bife Império. Assim, pedimos o Bife Império que é servido sempre com o molho Império (ao menos o cliente não fica indeciso na escolha) e Escalopes com Gorgonzola. A acompanhar as típicas imperiais fresquinhas. A comida é razoável, nem boa nem má, quer o bife quer os escalopes cumpriam e ficámos saciados mas falta ali qualquer coisa. Talvez tudo muito industrial. É pena, um espaço deste calibre e peso histórico merecia melhor. Pergunto-me se ainda falta recuperar a cozinha para o nível de umas décadas atrás ou se hoje em dia somos mais exigentes? Não sei, porque foi a primeira vez que aqui fomos, mas é certo que em Lisboa há bifes muito melhores do que este. O atendimento é como a comida, razoável, nem bom nem mau. Já o preço é relativamente puxado, principalmente comparado com outras alternativas (algumas até bem próximas), mas também não se pode considerar excessivo.

Em suma, trata-se de um local agradável para ir com um grupo de amigos beber umas cervejas num dia de futebol e disfrutar de todos os lcds e projectores a dar o jogo.

Resumo

Custo médio por pessoa: 18 euros por pessoa
Comida: Razoável
Atendimento: Razoável

Mapa

Sapore – Av. Sidónio Pais

Depois de umas horas muito bem passadas na feira do livro em Lisboa (altamente aconselhável uma visita especialmente com crianças), a barriga começou a dar horas e optámos por escolher um restaurante mesmo ali ao pé, o Sapore. É um restaurante italiano super simples alí no final da Av. Sidónio Pais, junto ao Marquês de Pombal. O conceito passa por um restaurante básico e preços convidativos. Dispõe de uma esplanda onde sabe bem usufruir de uma brisa fresca nos dias quentes de Verão.

Escolhemos um bife, uma pizza 4 estações, pão de alho e salada. O pão de alho é uma agradável surpresa, simples e eficáz. O bife é bem servido, mas não se trata de nenhuma especialidade, as batatas fritas estavam um pouco rançosas e ficaram lá quase todas, mas também ninguém saiu com fome. A pizza é bastante boa, não sendo a melhor pizza que já comemos, está claramente acima da expectativa para este género de restaurante (comida rápida e bom preço). Considerando que todos os items são servidos em doses razoáveis e o preço, o Sapore tem uma relação preço qualidade muito aceitável mesmo, e prova que não é necessário gastar este mundo e o outro para ter uma refeição agradável mesmo no centro de Lisboa. Nota ainda para o atendimento, também ele simples e eficaz.

Resumo

Custo médio por pessoa: 7.5 euros por pessoa (pizzas e massas)
Comida: Boa
Atendimento: Eficaz

Mapa

Valentino – Restauradores

Em busca de um Lambrusco, pusémo-nos a caminho do Valentino, por sugestão de uma amiga. Lá chegados, encontrámos um espaço familiar, agradável e informal, porém, sem mesas vagas…  Após um período de espera (não excessivo) fomos encaminhados para um 1º andar triste, vazio e algo decadente. Decidimos então regressar ao piso térreo, na esperança de não gorar completamente as expectativas que tínhamos criado. Finalmente conseguida a mesa, fomos breve e gentilmente atendidos por um empregado de sotaque italiano, o que muito nos pareceu contar a favor do local.

Como a fome não era muita, passámos rapidamente aos pratos principais, afinal, estávamos ali por um rosé italiano. A acompanhar o vinho, um tagliatelle Valentino e um bife com mozzarella, acompanhado com pasta. No que respeita ao primeiro, uma pasta bem cozida al dente, como convém, contudo, servida com um molho claramente proveniente de uma lata… desilusão. Quanto ao bife, tivemos mais sorte, embora o facto de ser acompanhado também por massa tenha constituído uma pobre combinação, bem mais ao estilo português, para despachar depois de um dia de trabalho, do que italiano, mamma mia la dolce vita. Sem sobremesas, apenas cafés.

O Lambrusco? Fresco, leve e envolvente.

Resumo
Custo médio por pessoa: 20 euros
Comida: Razoável
Atendimento: Eficiente

Mapa