Etiqueta: calzone

La Rúcula – Parque das Nações

O La Rúcula é mais um restaurante italiano da capital. Fica situado numa zona nobre do Parque das Nações, junto ao Pavilhão Atlântico e ao Oceanário de Lisboa. Chegados, somos prontamente encaminhados para uma mesa na ampla sala, aconchegada pelo forno ao canto. O espaço entre as mesas é desafogado e conta com uma decoração simples e agradável, mas a cereja em cima do bolo é a esplanada e a bela vista sobre a doca dos Olivais.

O pedido foi perfeitamente normal, uma Pizza da casa, um Calzone e pão de alho. Enquanto esperavamos pelas pizzas devorámos o pão de alho, mais pela fome do que propriamente pela iguaria, visto que não se pode considerar mais do que razoável. As pizzas seguem mais ou menos a mesma linha, cumprem sem deliciar. A comida não é má, mas também não é particularmente boa, muito menos espectacularmente deliciosa (que sempre a esperança quando se vai pela primeira vez a um restaurante).

Nota ainda para o preço, que no nosso ponto de vista é demasiado elevado, visto que a maior parte das pizzas rondam os 12 euros, mais bebida e gressinos elevam o preço por cabeça para uns 15 euros. Com vinho e sobremesas a média sobe facilmente para uns nada simpáticos 25 euros por pessoa.

Resumindo, é um local que vale sobretudo pela esplanda bastante aprazível sobre a doca dos Olivais, o preço é elevado e não acrescenta nada de relevante ao panorama de pizzarias (perdão restaurantes Italianos) em Lisboa. Se o critério for o da comida existem outras opções no Parque das Nações que apresentam uma relação custo/benefício muito melhor.

Resumo

Custo médio por pessoa: 15 euros por pessoa
Comida: nivel bastante razoável
Atendimento: Eficiente

Mapa

Come Prima – Rua do Olival

Mais uma volta neste carrossel que são os restaurantes por Lisboa, mais uma paragem num restaurante italiano. Já faltou mais para mudarmos o nome para “Restaurantes italianos em Lisboa” 🙂

Este restaurante que manda a prima comer fica na rua do Olival que é uma perpendicular à Av. Infante Santo, no início quando se começa a subir do lado direito. Curiosamente foi bastante fácil estacionar bem perto do restaurante. Chegados ao restaurante temos que destacar o bom acolhimento e pelo aspecto geral muito interessante, com um verdadeiro forno de lenha a funcionar.

O restaurante tem 2 pisos e ficámos na mezzanine, que mantém o aspecto geral agradável do piso de entrada, intimista, as mesas com velas e iluminação muito suave. Na mesa já estão à espera 2 bruschettas em vez do tradicional pão e manteiga, o que é simpático num restaurante italiano. Depois também é colocado pãozinho feito no forno com azeite e vinagre balsâmico. As bruschettas estavam muito boas, o tomate delicioso (aliás neste restaurante tudo o que vinha com tomate estava muito bom, será que são de cultura biológica ou qualquer coisa do género?). De tal forma que tentámos não ficar empaturrados enquanto escolhiamos no completo menu.

Para prato principal Saltimboca (filetes de carne com presunto acompanhado com massa e espinafres) e a típica pizza Calzone. Ambos os pratos estavam bastante bem confeccionados e saborosos. A pizza destacava-se pela positiva, e mais uma vez de salientar que o tomate estava suculento, já há bastante tempo que não apreciava um Calzone (que bem vistas as coisas é uma pizza super simples) deste nivel. Para acompanhar imperial e vinho a copo. As sobremesas, tiveram de ficar para uma próxima visita.

Boa nota também para o atendimento, simpático e eficaz. O preço é um pouco elevado (para a média de restaurante italiano), mas tem de se considerar adequado neste que é seguramente um dos melhores restaurantes italianos de Lisboa.

Resumo

Custo médio por pessoa: 15 euros por pessoa
Comida: entre os melhores italianos da capital
Atendimento: Bastante simpático

Mapa

Capricciosa – Parque das Nações

Fomos jantar ao Capricciosa a propósito do aniversário de uns amigos que são verdadeiros apreciadores de pizza, visto que praticamente qualquer jantar organizado por eles pressupõe, como prato principal, a pizza. Pessoalmente, especialmente depois de certa viagem a Itália, desconfio sempre bastante das pizzas cá do burgo, ainda mais de cadeias de restaurantes industriais (no sentido em que são constituidas por vários restaurantes todos iguais, franchises ou de grandes grupos económicos).

O espaço em si tem de se admitir que é agradável, dentro dos tons brancos e vermelhos. A vista sobre o forno e os pizzaiolos embora já não seja orginal fica sempre bem. Um espaço destas dimensões quando está cheio é necessariamente barulhento, talvez tenha televisões a mais (pelo menos 4). No âmbito geral é agradável e bastante apropriado para jantar de grupos. O estacionamento é oferta (se demorara menos de 2h) no parque das Tágides que está a 50 metros do restaurante.

Chegados temos as típicas azeitonas temperadas que não estavam nada de especial, mas até souberam bem tal era a fome da família, os gressinos também foram rapidamente devorados. Pedimos uma bruschetta, que só veio ao 3º. pedido (é algo que já estamos habituados no Capricciosa) , contudo estava agradável. Obviamente que óptamos por pizza, um calzone e para beber sangria. A pizza de massa fina e crocante é bastante agradável, tavez uma das melhores em Lisboa, já o calzone não estava à altura do normal, poderia ser um pouco maior e estava com a massa um pouco queimada. A sangria parecia sumo 🙁

Uma nota ainda para o atendimento que desta vez não foi tão mau como de costume, mas sem capricho nenhum. Curiosamente, a comida não estava tão boa como de costume (será que estão a equilibrar na média? ).

O preço nos dias que correm poderá considerar-se justo.

Resumo
Custo médio por pessoa: 15 euros
Comida: Bom
Atendimento: Sofrivel

Mapa