Etiqueta: cerveja

Adega do Atum – Campo das Cebolas

caracoisEste é um velho conhecido de há muitos e longos anos. Em pleno campo de cebolas, paredes meias com a casa dos bicos (agora fundação José Saramago), é uma tasca portuguesa com os típicos petiscos e menu de comida portuguesa tradicional a piscar o olho aos turistas que por ali passam: grilled sardines, o steak and chips, roasted chourizo e similares…

Na minha opinião, o ponto forte desta casa é a travessa de caracóis na esplanada, ao final de um belo dia de Sol em amena cavaqueira com amigos. Tenho de avisar que não é um restaurante “fácil”, por vezes perde-se um tempo interminável para lá chegar (graças às constantes obras na zona ribeirinha), por vezes é praticamente impossível encontrar estacionamento sem evitar essa praga lisboeta chamada “arrumadores”, já me aconteceu várias vezes já não ter caracóis, ou uma réstia mal amanhada, por vezes vem um cheiro não muito saudável do rio, por vezes os caracóis não estão nada de especial, por vezes passa-se mais tempo a ser incomodado por cravas de dinheiro e tabaco do que propriamente a desfrutar dos ditos cujos.

Mas, naqueles dias em que há um bom alinhamento astral, trata-se simplesmente um final de tarde/início de noite perfeito. o bom tempo lisboeta, a suave brisa refrescante, as belíssimas cores da cidade ao por do Sol, a boa companhia, as imperiais fresquinhas, e é claro uma bela travessa de deliciosos caracóis a completar o ramalhete. Serão os melhores caracóis de Lisboa? Não sabemos, mas que são muito bons, lá isso são.

Custo: 12 euros por pessoa, um pouco acima da média inflacionados pela localização turística
Comida: pratos de comida portuguesa razoáveis, caracóis muito bons (aconselha-se também o pica-pau)
Atendimento: Simpático

Mapa

 

Marisqueira Luminosa – Av. Almirante Reis

Esta marisqueira fica na Almirante Reis, praticamente em frente do Annapurna (uma agradável surpresa), e a pouco mais de 100 metros do Café Império (que foi uma desilusão). Portanto, a não existência de um padrão ali da zona, levou-nos lá sem qualquer tipo de expectativas (pré)formadas.

É a típica marisqueira à antiga portuguesa, luzes brancas fortes, mesas cobertas com folhas de papel, balcão amplo e o aquário perto da entrada com lagostas, lavagantes, sapateiras e afins. Não é um espaço de design, mas também não nos sentimos lá mal.

O menú também é o típico das marisqueiras/cervejarias com vários petiscos, bitoques, pratos do dia e é claro os mariscos a peso. Optámos pelos petiscos, umas ameijoas à bulhão pato e uns camarões à guilho. As ameijoas estavam sem dúvida boas, boa matéria prima e confecção, aprovado. Já os camarões, efectivamente pode-se considerar bem servido, mas numa marisqueira e num petisco de camarão apresentarem o prato à base de miolo de camarão congelado (aqueles que se utilizam para complemento de saladas, arroz, etc) não está aprovado. Para acamar finalizamos com um prego no pão, conforme se quer, apenas uma passagem suave pelo lume para manter a carne tenra e macia (e depois nós tratamos de carregar com “quilos” de mostarda).

Isto bemregado com  meia garrafa de vinho branco Muralhas bem fresca (um valor seguro), e umas imperiais (ou finos no Norte). Diga-se de passagem que as imperiais, a simples e singela cerveja a pressão estava no ponto, mesmo boa. É incrivel como nas marisqueiras normalmente a cerveja vem assim, e sabe mesmo bem, e noutros locais por vezes ou é a espuma, ou a temperatura, ou copo, ou qualquer coisa…será assim tão complicado apresentar a imperial como aqui?

O atendimento foi o normal, simples e simpático qb. Relativamente ao preço, numa marisqueira é sempre complicado aferir um valor médio de refeição, tudo depende do que se vai comer, porque desde o prato do dia ou do bitoque até à lagosta vai uma diferença abismal. Mas por comparação com outros restaurantes da especialidade podemos dizer que o preço é um pouco a cima da média, mas nada de especial.

Custo: gastámos 25 euros por pessoa, mas como em todas as marisqueiras depende muito do que se come. Por comparação um pouco acima da média.
Comida: entre o bom (ameijoas/prego) e o fraco (camarões)
Atendimento:  cumpridor, simpático qb

Mapa

Henessy’s – Cais do Sodré

O Henessy’s é um tipico bar irlândes (Irish Pub) situado na zona do Cais do Sodré. É bastante antigo, talvez o mais antigo de Lisboa. Curiosamente já lá tinha ido algumas vezes mas nunca tinha jantado por lá. Nestes meses a Av. Ribeira das Naus encontra-se fechada o que torna um pouco mais díficil, mas o reverso da medalha é que é muito mais fácil encontrar lugar para estacionar perto.

Lá dentro somos confrontados com uma decoração típica de um Irish Pub e vive-se um ambiente descontraido com vários ecrâns em emissões desportivas e bastante música (várias vezes ao vivo). É um espaço autêntico na medida em que encontramos exactamente o que se espera de um Irish pub. Ficámos no 2º piso, infelizmente demasiado perto de um ar condicionado, talvez o ponto menos feliz da visita ao Henessy’s.

O forte do menu são claramente os pratos de carne, em especial os bifes grelhados. Portanto escolhemos 2 bifes, um à portuguesa que é como quem diz com batatas fritas e um bife Henessys que é como quem diz bife acompanhado com batata assada. A carne dos bifes estava óptima e os acompanhamentos também. O bife à portuguesa merecia trazer uns pickles que ficam sempre bem naquele molho. Os bifes foram regados com as tradicionais pints e imperial.

O atendimento foi regular, existindo empregados mais simpáticos e outros um pouco menos.O preço médio rondou os 20 euros por pessoa, que não se pode considerar barato, mas também não é excessivamente caro. Em noite de jogo decisivo para a qualificação do Mundial 2010, podemos dizer que a refeição foi muito mais agradável do que a exibição da selecção.

Resumo
Custo médio por pessoa: 15 euros
Comida: Boa
Atendimento: Suficiente

Mapa